Thursday, September 25, 2014

Um amigo do poker pra vida... e claro, mais um bando de tralha.

Fala gents, quanto tempo. Sempre que começo um post agora é assim "quanto tempo" mas é que realmente a época que eu escrevia 2 ou 3x por semana já se foi faz tempo. Hoje em dia volta e meia me dá na telha e escrevo. Na verdade, a Julia tem quase me agredido pra eu voltar com o blog (e ela é a única pessoa nesse mundo que manda em mim, e manda mesmo), então é mais pra ela parar de me pentelhar do que qualquer outra coisa. E pq ela, sendo a ixcrota que é, pegou os filhos, que eu não vivo sem, e se mudou pra NY. Não dou 2 meses pra eu estar lá tbm. Mooooo.

Essa semana estou me sentindo super "roots" em São Paulo curtindo com um dos meus melhores amigos, João Luis Peres. Eu tenho uma história incrível com ele. Vou contar. Em 2007, em um dos 10+R que eu ganhei, na época que o 10+R noturno do Stars era mega tesão, era 80K garantido ou algo do tipo absurdo assim, o 1o lugar pagava uns 16K e todo mundo jogava (sempre foi e acho que sempre vai ser o meu torneio favorito) teve 1 cara que ficou desde a 1a mão da hora do rebuy até a última mão do heads up na torcida. Maluco né? Meio stalker até. Mas o cara era engraçado, fazia comentários sobre a partida, nunca ofendendo ninguém (acho o ó gente que xinga no chat online, cresce mano!), fazia comentários das mãos, imediatamente fui com o santo "online" dele (vida moderna me assusta. Mas pra contra-balancear, acabo de coar café numa meia e com papel higiênico, que é outra história, e tbm acabo de usar a palavra "coar" que não devo usar desde os 12 anos de idade quando meu feijão ainda tinha que ser coado pq eu odiava caroço. Tá vai, tem que ser coado até hoje, mas não uso mais a palavra, pq só como feijão em lugares que sabem que o meu feijão tem que ser coado). WTF am I talking about? Totalmente off-topic. Voltando a vaca fria; então, teve esse maluco, que provavelmente tava assistindo filme pornô de anões enquanto torcia por mim (pq não existe alguém que vc não conhece, nunca viu na vida, não sabe nem se a pessoa gosta dos Beatles meu Deus, ficar torcendo DOZE HORAS por vc num torneio). E o pior, o HU acabou tipo 7:30am, sendo que tinha começado as 10pm. MALUCO. Medo dessa pessoa... Mas quando terminou o torneio, peguei o nome dele no chat e mandei 50 dólares de presente, meio que pra agradecer e meio que pra falar "sai pra lá, me erra pq tu é louco".

Acabou o torneio, segui vivendo a vida (Captain Obvious is Obvious) e uns 3 anos depois vem um cara com screen name de "Giopazzo" (João Luis Peres) falar comigo no chat da mesa "Maridu, me chama no skype, gostaria de falar com vc". Ok, eu dou papo pra todo mundo mesmo, facinha da porra, então chamei o cara no skype. Era o tal maluco que tinha me acompanhado 12 horas no 10+R pra quem eu tinha mandado 50 pilas de presente anos atrás. Imagina, eu jamais lembraria se ele não falasse algo. Começamos a conversar no skype e ele me fala o seguinte "Queria te dizer que aqueles 50 que vc me mandou mudaram a minha vida e que eu acabo de comprar meu apartamento em SP por causa dos 50 que vc me mandou." Fiquei em estado de choque! "Como assim?" e ele "é que eu saquei do stars, comecei a jogar sngs nos sites mais baratos, fui subindo de limites, comecei a jogar torneios, aos poucos fui mudando pro stars e ftp e finalmente um belo dia acertei um hit de 28K e terminei de comprar meu apartamento. Tudo com os 50 que vc me mandou". Bom, eu manteiga do jeito que sou, comecei a chorar, aquelas merdas todas emocionais que eu tenho (devia estar de TPM) pq não dava pra acreditar que alguém era tão NIT assim! kkkkk lol mas falando sério, ele nunca quebrou, falou que chegou a ficar perto de quebrar várias vezes mas administrou o BR de forma asiática (whatever the fuck that means) e, enfim, viramos amigos, e ao longo dos anos, praticamente melhores amigos pq ele curte as mesmas coisas que eu, é louco por cinema, música, ócio, não é chegado em banho, ama Beatles e ainda por cima é uma pessoa que diz SIM pra vida (pq agora tenho isso: já repararam que no que vamos ficando mais velhos as pessoas começam a dizer "não" pras coisas? Sendo que sou mega preguiçosa, então quando proponho algum programa pra algum amigo, espero sempre o SIM como resposta e se vem o "não" fico putíssima, levo pro lado pessoal e não quero nem mais saber da pessoa - radical mesmo. Vamos ficando mais velhos, temos que ir nos livrando dos âncoras que nos seguram em vez de nos empurrarem pra frente). O João diz SIM pra vida! Adoro!

Então hoje, escrevo esse post, diretamente de SP, acordando no apartamento dele (que se formos entrar em termos realmente técnicos, é meu, pq foi comprado com meus 50 dólares e tô até pensando em entrar na justiça e tirar esse apartamento dele...) onde estou passando a semana. Olha que vida louca! Desde que ficamos amigos, ele já foi pra Vegas comigo 2 anos seguidos, sabe tudo da minha vida, participa de todas as minhas decisões, tipo de coisa boa que o poker me proporcionou: um amigo da vida pra vida! Vamos ser honestos vai, isso é raro de encontrar em qualquer lugar, imagina numa mesa de poker online e com uma história dessas! Acho a história tão boa que dá até vontade de fazer um filme. Mas não vou pq tenho muita preguiça hj em dia. Então, essa é a minha história com o João, que aliás vocês deviam seguir no twitter. Ele é mega advogado que acaba de (louco) largar tudo pq vai dançar tango na Argentina (INSANO! Total demais, não consegue me ensinar a dançar tango nem fudendo da mesma forma que eu não consigo ensinar pra ele não dar raise em Stud Hi-Lo quando ele tem o Low feito e tá freerolando pro high com mais 2 caras no pote pq ele não quer expulsar um cara do pot e chop o pot só com 1 pessoa e sim ter um 3o lá dentro pagando pelo high, cacete, merda, pq que ele não entende isso? Sei lá, deve ser tão frustrante como quando ele tenta me ensinar um passo de tango e eu falo "A porra do meu pé não vira desse jeito ô merda, eu tenho pé torto com 4 dedos, perna curta operada, joelho quebrado, me erra e aprende a não dar raise no stud hi-lo com o low feito! lol) - enfim, a gente se ama, se entende e se equilibra de algum jeito no final das contas. Ele tem uma gata chamada Augusta que eu torturo quando ele não tá olhando pq porra, vc chama a gata, ela não vem, vc vai fazer carinho na gata, ela foge. Pra q q nego tem gato quando pode ter cachorro? Não entendo! I LOVE YOU JOÃO! Ah, peraí, perdi a porra do fio da meada (gente, meu vocabulário anda pior que de marinheiro, eu falo MAIS palavrão do que nem sei quem, e tem até um motivo pra isso, mas vai ficar pra outro post. Merda, tenho história pra caralho e uma preguiça gigantesca de contar).

Onde eu estava? Ah, que vocês devem segui-lo no twitter pq o louco largou advocacia (tem 1 semana lol, e ele era sócio! Fazia um balde de grana, retardado) e além do projeto tango em Buenos Aires, ele é dos caras que mais entende de cerveja no Brasil. Sendo sincera, de uma pessoa que não bebe nenhuma gota de álcool e nunca bebeu, não entendo nada de cerveja, nem sabia que tinha algo pra entender. Mas ele não só entende tudo - TUDO - sobre cerveja (que, aparentemente, é um processo mais complexo do que vinho de se fazer direito, pq ele fica me explicando mesmo quando não tô com menor saco de escutar e tô cagando pras cervejas dele) como ele tem um programa ótimo no youtube que quem curte cerveja vai AMAR chamado Malte Show. (O Malte Show tbm tem um twitter). A loucura do bicho por cerveja é tamanha, que esse ano, quando estávamos em Vegas, comprei ingressos pra irmos no show do meu amado-futuro-marido Jack White em Los Angeles e ele foi com a condição de que no dia seguinte eu iria com ele na maior loja de cerveja de LA, e eu juro, ele parecia uma criança na loja de brinquedo. Eram milhões de cervejas, uma mais loki que a outra, com as garrafas sensacionais, rótulos ultra artísticos, tinham cervejas de tipo 500 dólares, uma coisa bizarra, e depois de 5 minutos eu já tava louca pra ir embora, mas ficamos lá dentro umas 3 horas - mais tempo do que o show do Jack White, saco acústico! Ele comprou tanta, mas tanta cerveja, vou ver se acho as fotos. E não só isso, como ainda tive que ajudar a trazer as cervejas pro Brasil e admito que o processo foi até engraçadinho (por 5 minutos) pq cada cerveja teve que ser embalada dentro de uma fralda, caso estourasse na mala, a fralda absorveria a cerveja. Inteligente né? A mala dele parecia que tinha um bando de bebezinhos com as cervejas todas dentro de fraldinhas lol

Nossa, rasguei ceda pro João, mas é pq realmente amo o cara... vou colocar algumas fotos eu e ele e as cervejas pra vcs sentirem o que o poker é capaz de proporcionar... um amigo pra vida.

Vegas 2013

João dançando tango - ele fica mó intenso

Vegas baby!

Em Los Angeles

Los Angeles, orgulhosos dos nossos novos óculos escuros.

dentro do raio do supermercado de cerveja em Los Angeles e o cara surtando!

A arte dos rótulos e dos nomes, um mais criativo que o outro - adorei (por 5 minutos)
 
A gente no show do meu amado Jack White, eu colada no palco

JACK WHITE!

Jack White gênio colocou esses como os artistas que já se apresentaram no The Fonda Theater em LA,
teatro de atos muito  famosos.

João e eu voltando de LA
As cervejas parecendo bebezinhos embrulhadas em fraldas prontas pra viajarem pro Brasil lol
E isso foi ontem no apt "dele" (tecnicamente meu apt.) e ele tomando uma cerveja ROXA feita de framboesa, nem sei...
Bom, chega de falar do João pq até eu cansei da cara dele depois disso tudo!

About me... Bom, cheguei no Brasil e estou curtindo meu apt. no Rio, sigo remando, malhando, obcecada com a Beyonce e fazendo 200mil agachamentos por dia (detestáveis) pra ter perna/bunda feito ela, e agora estou curtindo um pouquinho de SP. Larguei todos os remédios que tomava desde que a minha mãe morreu, que foi mega difícil, uma tortura na verdade, mas nem quero muito falar disso, e estou muito melhor - diria que outra pessoa. Não consigo nem mais fingir que me importo com certas coisas depois desses 2 últimos anos que fui ao inferno e voltei, que provaram que... ah, tem mais é que viver mesmo, falar o que tá afim, beijar quem tá afim, não ficar apegado a nada material pq foda-se, e se cercar de gente do bem que te ama do jeito que vc é (no meu caso uma pentelha metida que odeia banho mas é ultra fiel e diz SIM pra vida!) - o resto é blablabla. Tenho jogado bastante online depois de um longo período afastada, e logo no meu primeiro dia de volta fiquei em segundo lugar num torneio com LOL 8121 pessoas. Um main event! Fora isso, acho que os sites me querem de volta pq tem sido muito MUITO bom, fiz mais algumas FTs, mas tenho jogado pouco torneio e bastante cash games de mixed e... nem vou falar muito pra não mudar o vento. Ah, e desculpa se alguém falar algo no chat e eu não responder, meu observer chat está desligado. Uma pena, pq a maioria dos recados são super carinhosos e queridos, mas os haters (que eu cago, pq sei o quanto são apaixonados por mim, pq pra vir xingar alguém que vc nem conhece num chat de mesa de poker virtual lol é muito amor no coração e sou da filosofia que quem não tem haters não está fazendo direito) mas outro dia alguém pegou meio pesado falando sobre a minha mãe, que é o único assunto do qual eu não tenho senso de humor nenhum, e simplesmente não admito, então, pra evitar aborrecimentos, desliguei o observer chat. Sim, tem gente MUITO escrota nesse mundo que estraga a alegria dos outros, fazer o quê né? Tentar compensar com as pessoas boas, que sempre compensam, e assistir as escrotas se fuderem sem vc ter que fazer nada, pq isso sempre acontece, é só dar tempo...

Aí outro dia estava conversando com uma amiga que trabalha como voluntária num hospital para crianças com cancer, e ela estava falando do problema que era pras meninas que perdem o cabelo com a quimioterapia comprarem perucas pq perucas de cabelo verdadeiro são muito muito MUITO caras (nunca parei pra pensar nisso na vida, me senti uma péssima por isso). Perguntei se eu poderia doar meu cabelo, ela imediatamente falou que sim, meu cabelo era tipo sonho pq era tanto cabelo que daria pra fazer 3 perucas (pq misturam cabelo sintético com cabelo verdadeiro) e eu fui no hospital com ela, conversei com as 3 meninas que iam ganhar o meu cabelo, e no dia seguinte rapei fora com o maior prazer sem pensar duas vezes no assunto. Olha, eu sou mão aberta com os menos afortunados pq sei o privilégio que a minha vida é, e conheço muito a sentido da palavra gratidão, mas essa foi a melhor doação que já fiz na vida, pq não se tratava de grana, era algo muito mais pessoal - literalmente um pedaço de mim (tem aquela música né?). Mas sério, só uma mulher entende o quanto o seu cabelo faz parte da sua identidade, e a alegria das meninas valia eu ter raspado a cabeça se fosse o caso (que eu ofereci fazer, mas não precisava, só precisavam de 15cms de cabelo, que nem acreditei que eu tinha 15cms de cabelo pra ser cortado!). E, na minha empolgação, que nunca tive cabelo curto e estou amando, pintei as pontas de azul. Talvez eu esteja entrando numa leve crise de meia idade (a Julia tem certeza que é isso), pois agora estou mais perto dos 40 que dos 30. E quer saber? Foda-se! A bunda segue dura e a cara sem rugas, mas o minuto que tiver que entrar em baixo da faca entro feliz sem a menor vergonha ou pudor. Alguém tem algo contra? Juro que não tô o menor interessada! lol

Aqui o vine (sim, agora tem que ter vine, keek, instagram, twitter, facebook, um INFERNO de mídia social!) do meu cabelo sendo cortado. E depois o surto azul!

curto, azul e feliz.


RECADO IMPORTANTE:

E um último assunto CHATO pacas, e que juro, quero distância, mas já que ninguém comenta, eu vou comentar. Ano passado deu o maior bafafá com a história dos meninos que foram lesados no poker pq, enfim, vcs lembram da história e não quero levantar ela de novo pq acho que foi tudo resolvido. Acredito que, depois daqueles tristes fatos, a plataforma está aí para qualquer um expor esses tipos de danos financeiros e psicológicos, caso estejam se sentindo lesados por alguém no poker - no tanto que tenham provas (e lol, tem gente que defende os culpados até quando tem provas, é surreal! Mas isso não vem ao caso...) e que tenham uma história concreta para ser exposta por algum motivo beneficial a comunidade de poker Brasileira e não só pelo bafafá. Fico chateada que todo mundo adora gritar vamooo e tal mas na hora de limpar a sujeira fica todo mundo quietinho - acho isso de uma hipocrisia sem tamanho portanto não vou fazer o mesmo. Gente, no poker não temos um SERASA ou SPC banco de dados para sabermos em quem confiar, quem tem boa ou má rep, especialmente pra molecada que está começando - o futuro do jogo no Brasil - então acho que cabe aos jogadores mais experientes que tem uma voz com maior alcance de ajudar a controlar e manter o jogo limpo. Semana passada fui procurada por uma pessoa que está sendo lesada. Por enquanto não vou me meter porque fui aconselhada por 2 pessoas que confio muito a não fazer nada e realmente acho que cada um deve lutar sua própria batalha, e com provas concretas não tem pq a comunidade de poker não acreditar. Mas digo o seguinte: estou sabendo da situação, vi provas, e aconselho a devolver a grana logo, pq se rolar por muito mais tempo eu vou intervir sim, pq a verdade é que, quando se trata de assuntos desse tipo, estou cagando e andando pro que pensam de mim (aliás, em qualquer assunto), e meu interesse é que os lesados sejam reparados. Quem cala consente. Não é o meu caso. Para os iniciantes, quero dizer que podem sempre contar com a minha voz em assuntos desse tipo, pq eu não vou tolerar nenhum tipo de mal feitio no meu jogo, e jogador que sabe de mal feitios e fica quieto está lesando o jogo também. Pense nisso. Tá dito.

Mmmm... xô ver que mais... tem muito mais assunto mas vou deixar pro próximo post... Estou amando SP, estava morrendo de saudades. Hoje vou almoçar com o Gabriel Otranto, amigo muy querido de tantos anos, e talvez eu jogue o Master Minds. Talvez não. Ainda não decidi. Mas com certeza vou passar lá pra ver a galera, então se vc estiver lá, vem me dar um "oi" pq eu vou adorar e, como já falei, sou mega facinha e dou papo pra todo mundo!

Mais por vir... muito, muito mais...

Beijos e queijos,

ME :)

Friday, May 02, 2014

Porque estou vendendo ação para o WSOP de 2014

Querido Pueblito,

quanto tempo... ando sem escrever mesmo. Focadíssima em outras coisas, como poker por exemplo. Desde Setembro de 2013 eu voltei a jogar somente LIVE e muito mais cash do que MTTs. Voltei a estudar com um "mentor" - não vou dizer um coach, pq nossa relação já é tão velha que ele não tem mais coragem de me cobrar e eu não pagaria lol. Começamos a fazer uns experimentos no próprio cash game que dão para serem usados em MTTs, como sentar com 30 big blinds, sentar com 10 big blinds (isso irritava a todos e eu não entendia porque!) roubar o botão fora de posição, e alguns outros conceitos bemmm fora da caixa.

Fui pra África do Sul em Novembro e já no meu primeiro torneio levei terceiro lugar (sim variance, não sou monga) mas teve jogo também (e só fiquei em terceiro por uma bad horrível que jamais contaria). Não fiquei com ego alto, apenas fiquei louca pra voltar a estudar. E foi exatamente isso que eu fiz e venho fazendo, quietinha, desde então. Não tem uma mão que eu tenha um mínimo de dúvida que não seja stovada, ICMada, e debatida com meus mentores (são 2 na verdade).

Em dezembro de 2012, como a maioria de vocês sabe, perdi minha mãe. Eu estava muito mal, eu não era eu de tantos remédios que estava tomando, eu era um zumbi. As pesssoas falavam comigo e eu nem respondia de tão drogada (por médicos, óbvio!) que eu estava. Agora, 2 anos depois - vejam só vocês - não tomo mais nenhum remédio, voltei a ser a velha (numa versão melhorada) da Maridu, e com muita vontade de ganhar um bracelete, coisa que nunca me liguei muito. Minha meta sempre foi de fazer dinheiro com poker, e segue sendo, eu nunca tive essa coisa que todo mundo tem de "quero um bracelete" - sempre falei que se estivesse numa mesa final heads up e alguém me oferecesse a grana do primeiro lugar em troca do bracelete, eu aceitaria. Mas por algum motivo, não sei se pela morte da minha mãe e todo apoio que ela me deu com o poker, não sei se porque é ano de Copa do Mundo e o Brasil vai brilhar em todos os sentidos, não sei se é por causa do apoio que muitos de vocês me deram sem nem me conhecerem num momento que precisei muito, decidi que quero a porra do bracelete no meu pulso cacete! (e a grana nos nossos bolsos!) Nada de deals. O bracelete é meu e pronto. Eu quero isso mais que já quis qualquer coisa na vida, e quando quero uma coisa... aff, sai de baixo! Nunca teve nada que não consegui nessa vida de Deus meu Deus.

Mas, como sou uma pessoa muito emocional, e venho tentando controlar isso tem anos, esse ano decidi vender 60% do meu WSOP exatamente para não ficar MUITO emocional enquanto jogo. Jogando por 40% jogo com zero emoção, jogo feito o David (bom, quase... apenas falando no aspecto "robô"): pura lógica, razão, equilíbrio, matemática, experiência, nada de emoção pq aquilo ali é trabalho e não hora de ter ataques epopléticos de pelanca porque ganhou ou perdeu um pot grande. Quero experimentar algo novo, onde várias pessoas estão contando comigo, vibrando de verdade por mim e do meu lado. E não vou enganar, a economia do poker está muito fraca viu? Todo mundo vai dizer que é por causa do black friday, e sim isso tem muito a ver, mas é bastante também por causa dos torneios que chamo de "Ego-tournaments" - torneios com buy ins homericos de 1 milhão de dólares, 100K, 50K, e agora todos tem re-entrada. Não tem economia no mundo que aguente essa pressão - o poker vai em breve ter um crash tipo 1929 nos EUA. É insustentável. Uma hora essa economia entra em colapso, e acho que será em breve. Vejam o próprio Gus Hansen, no buraco por mais de 17 milhões USD e finalmente decidiu e sem ego (achei fodão, como sempre) declarou que "chegou a minha hora de parar de jogar poker pq não tem mais como sustentar isso". Claro que ele não tinha 17 milhões de dólares, muito é emprestado, backeado etc. mas e agora José? Como sair de um buraco de 17 milhões? Conheço muitoooooo jogador que vocês consideram os "picas das galáxias" em situações parecidas. Me recuso a entrar numa guerra de ego. Vou seguir quietinha no meu canto jogando meus torneios-zinhos onde sei que meu edge é enorme e pronto.

Se tem uma coisa que sempre preguei e respeitei foi o BR. Em muitos dos meus posts da época da caverna vcs podem encontrar eu falando disso com o maior respeito. Bom, vamos dizer que estou reconstruindo o meu BR sem a menor vergonha, menor ego, menor nada, pois andei afastada do poker por um bom ano e meio. Mas agora sou eu, a Maridu de sempre em versão melhorada, mais equilibrada, mais focada, mas como sempre cagando pro que pensam ou falam de mim, tentando algo novo que eu vou lutar muito para dar certo. Estou em um lugar excelente da minha vida, em paz com quem eu sou hoje em dia (oi haters! Amo vcs também) e mudei radicalmente meu estilo de vida para largar os remédios que me deram quando minha mãe morreu, e admito que não foi fácil (aliás, foi dificílimo - largar narcóticos não é brincadeira). Mas consegui, como tudo nessa vida, e hoje em dia só como comidas cruas e vivas - plantas - o que já faz uma mega diferença, pq as 11 da noite quem você acha que vai estar tomando melhores decisões? O cara que jantou um cheeseburger com batata frita e coca cola, todo cheio de áçucar e veneno correndo nas veias, ou eu, que estou limpa, fresca, sem nada poluindo meu corpo? Nada derivado de animal, nada que seja processado. Isso não tem dúvida... Vc é o que vc come, e hoje em dia eu como o sol (plantas, clorofila). Estou brilhando! Acho de verdade que isso faz uma grande diferença. Não tomo uma gota de álcool, malho quase todos os dias, não tenho dramas emocionais (aff, não valem a energia), e não tenho o MENOR ego em jogo. Sim, mudei meu estilo de vida 100% depois da morte da minha mãe, mas foi necessário para sair do buraco que eu estava, e tomando mil remédios. Eu não queria mais aquela vida. E agora tenho uma vida nova com uma perspectiva nova de tudo.

Engraçado como é verdade; a gente cresce, ganha experiência e aprende (pq quando eu tinha 18 eu sabia de tudo - lol, coitada!)! Antigamente eu jamais sonharia em jogar o WSOP sem jogar os eventos paralelos de 10K, 5K, 3K, etc., esse ano o meu evento mais caro (fora o main event é claro, que é o torneio de mais EV do mundo) é um de 2.5K e só, o resto são todos 1.5Ks e 1Ks onde meu edge é incalculável pelo tamanho do field. Pra quê me expor aos fields onde os peixes literalmente secaram, não existem mais, não jogam mais (gente, em 2009 os EUA entrou em colapso monetário, tudo mudou...) e sentar numa mesa e olhar em volta e só ver piranha? Acho que esses torneios, devido a economia seca e magra do poker de hoje em dia, viraram torneios de ego pois acho que TODOS os jogadores (salve o Phil Ivey, Durrr, o Bakes, Galfond, e mais um punhado de 4 ou 5) o resto tem EV neutro - SIM, EV NEUTRO (isso não é indireta pra ninguém, é apenas o que eu sinceramente acho devido ao tamanho mínimo dos fields repletos de piranha onde o jogador esperto, de olho na grana e na economia do poker não precisa se expor). Se tem uma coisa que quem joga gamão aprende cedo é que você NUNCA aceita uma aposta onde seu EV é neutro. Quando seu EV é neutro você tem, na melhor chance, de empatar, e na pior chance, de perder. Não que eu me ache ruim nem inferior a ninguém, nada disso, em qualquer dia qualquer um pode ganhar esses torneios a curto prazo e todos nós sabemos disso, mas acho que sim, os fields desses eventos de 5K, 10K, 3K até, secaram e se tornaram uma festa de variância e de EV neutro, ou o que chamo de "Ego-poker". Muitos ali no field sabem que não deveriam estar jogando estes torneios e sim se guardando para o 1K, onde o EV é gigantesco. Reparem bem este ano... Não sou boba, venho reparando isso tem 3 anos já... Zero-ego-poker é o que estarei jogando, e vou ficar longe desses eventos onde o EV do field inteiro (fora os que mencionei) é neutro.

Enfim, com a economia seca do poker, eu tentando me desviar emocionalmente do jogo quando estou jogando, reconstruindo meu BR do chão sem a menor vergonha (não vou pegar grana do meu banco por exemplo para bancar nada) e seca por bracelete, decidi vender 60%. Aqui está a minha planilha para quem tiver interesse em comprar um pedaço. Venda mínima de US$200.00. Levar em consideração que muitos torneios são em dias consecutivos, portanto alguns não serão jogados, pois estarei fazendo dia 2 e FTs, mas reajusto o quanto cada um tem diariamente (vou dar pseudônimos para os investidores e atualizar a planilha todos os dias) e claro, se no final passar de 100% dos 60% que estou vendendo, é devolvido para cada um, mas eu basicamente troco um torneio aqui por outro ali pra manter o valor constante. Quanto a isso, podem ficar sussi que sou macaca velha e sei fazer, pois vi o David fazer isso por anos, e é como a maioria dos profissionais aqui fazem. Essa coisa de jogar "sem make up e sem investir 1 centavo do bolso" é algo que até hoje nunca entendi. Profissional nenhum americano investe em jogador que não está colocando algo do próprio bolso, pois isso significa que ele pode coludir, jogar o torneio no lixo, desaparecer, etc. Enfim, não vou me meter no sistema Brasileiro de "cavalagem" que não é o que estou fazendo. Estou vendendo pedaços, vendendo action, e eu, claro, vou investir do meu próprio bolso para jogar, pois isso demonstra a seriedade da coisa. Enfim...

Pra quem tiver qualquer pergunta, estou aberta para responder todas, sei que esse modelo é diferente do que vocês estão acostumados, portanto não se acanhem de me enviarem quantas perguntas vocês quiserem pois a grana é de vocês. Mandem pelo inbox do facebook, pelo twitter (@maridu) ou para meu próprio email: memayrinck@hotmail.com - US$200.00 mínimo a compra de cada pedaço de ação, aceito via paypal (memayrinck@hotmail.com - se forem enviar via PayPal, por favor cliquem na opção "send to family or friend" se não eu pago 3.9% de taxa pra receber a grana, e OUCH, machuca!) aceito via PokerStars pela conta do meu amigo João Peres que vai pelo nickname "giopazzo" (e tem uma fotinho com uma cara de mongo, é ele mesmo) ou via Bank of America.

Abri um tópico bacana no meu querido MaisEv onde fala da venda e tals, mas encorajo um bom debate sobre qualquer uma das idéias que expus aqui, e um bom debate sobre venda/compra de ação, que acho que no Brasil ainda está um pouco confuso (o que tudo bem, demorou anos pra eu entender direito também!).

Qualquer dúvida, estou aqui para vocês, e boa sorte para todos nós. Esse é meu ano, porque EU quero que seja, e sou eu que decido essas coisas! Vamo que Vamo!

Beijos e boa sorte para todos nós,

Maridu :)

Estou bem chocada (e feliz) que em 1 dia já vendeu 14%!!!

Friday, March 29, 2013

Voltando... Feliz Páscoa :)

Fala Puebs, feliz páscoa para todos!

Eu recebi muitos pedidos pra repostar as HHs que eu tinha postado do Stevie do Andy e do David que eu havia tirado do ar por motivos pessoais (pois em muitas dava pra ouvir a voz da minha mãe, que pra quem não sabe, faleceu em Dezembro). Mas acho que já consegui andar adiante, e não é justo para a galera que não conseguiu ver e quer ver. Então quem quiser ver todas as HHs na íntegra basta catar lá no meu canal do youtube (Maridu01). Pra quem não viu, espero que curtam, e pra quem já viu, vale ver de novo e de novo e de novo... Sempre tem mais pra aprender (pelo menos é o que eu acho, pq eu sei que não sei nada de nada).

Agora que estou oficialmente mudada no meu novo apartamento e longe do apartamento da minha mãe (que estamos reformando para alugarmos, pq os preços de Ipanema, OMG, insanos!) eu estou bem esperançosa com o futuro. Ainda estou medicada, por isso longe ainda do poker, mas da última vez que escrevi meus médicos tinham conseguido me tirar de 1 remédio. Essa semana me tiraram de mais um. Isso, confiem em mim, é um GRANDE progresso no processo de luto e stress-pós-traumático que estou passando. Um dia de cada vez... E as coisas estão melhorando. Já estou até tendo dias bons. No próximo remédio que tirarem eu posso pensar em voltar ao poker. Isso será uma glória, pq pela primeira vez em muitoooo tempo eu estou com saudades de jogar.

O David (um santo que soube me dar meu espaço e, cacete, me conhece e mesmo assim me ama e me apoia - esse homem vale ouro!) finalmente está chegando. Não o vejo desde setembro. Nunca passei tanto tempo longe dele, mas pra ser sincera, nem senti, pq tinham tantas outras coisas acontecendo na minha vida. Acho que agora chegou a hora de nos unirmos novamente e olharmos para o nosso futuro com olhos frescos. Quem sabe o que vai rolar? Eu não sei, mas pelo menos estou disposta a tentar dividir minha vida com alguém novamente, e isso também é progresso. O David está muito contente que finalmente estar vindo, coitado, anda tão preocupado... Eu amo esse homem. Como não amar alguém tão especial e simples, e que tem a mesma palavra favorita que a minha: "CU". (tem palavra melhor? Cu, cu cu cu cuzinho cuzão cuzóide!)

O Jack, meu cachorro recentemente adotado, agora está com adestrador para o problema do latido. Ele é o melhor cão do mundo, mas late do minuto que eu saio até o minuto que eu volto e é péssimo aluno, ultra bagunceiro e mimado. Tudo minha culpa obv. Mas está sendo treinado/adestrado, sei lá, e cada aula me dá vontade de chorar pq o adestrador fica assim "Ignora ele" e eu "mas ele é muitoooo fofinho, eu não consigo!" e ele "Maria Eduarda você está jogando dinheiro fora comigo se não fizer o que eu estou falando". Aff dor no coração.

Sigo no remo, na corrida diária, na loucura temporária e na busca interna de melhora. E não é disso que a vida é feita? Disso e muito mas MUITOOOOO rock'n'roll. Então aqui vai um som que eu amo, e além da música ser uma obra de arte de uma banda que eu amoooo, The Black Keys, o vídeo é dos melhores da internet.

Espero que vcs estejam bem e cercados de quem vcs amam, com saúde e alegria no coração. As únicas coisas que importam nessa vida!

Em breve posto fotos do meu novo apt. Tá ficando tão lindooooo! Mas nossa, mudança é um caos. NUNCA MAIS! Tô exaustaaaaaa!

Beijos bem carinhosos cheios de ovinhos de chocolate,

Maridu


Tuesday, March 19, 2013

Mudança. Literalmente.

Oi gente, beleza?

Me mudei. Nunca vi algo tão cacete quanto mudança. Mesmo tendo gente ajudando, frete (obv) e tudo mais, fazer mudança é um cacete e não tem nenhuma outra palavra que possa descrever. A quantidade de coisa que acumulamos nessa vida, aff... deu até vergonha. Me livrei de 70% de tudo que eu tinha, sem contar que vendi todos os móveis num leilão e comprei poucas novas coisas. Vida nova. Então a partir de amanhã me mudo pro meu novo apt. É aqui na Lagoa, pertinho do apt da minha mãe, onde eu e meus irmãos começamos uma obra de renovação pesada pra alugarmos. Apartamentos no Rio estão num preço absurdo. Não sei quando que o carioca ficou tão rico, mas tudo é um fortuna. Eu tentei convencer meus irmãos de venderem o apartamento da minha mãe, mas eles insistem que alugar agora e vender logo antes das olimpíadas é mais jogo financeiramente. Ok. Não vou discutir. Mas os preços, Jesus... Meu irmão mais velho estava me falando como morar em Londres é uns 30% mais barato que morar no Rio. Olha que absurdo! Por mim eu não ficava no Rio, mas como ainda estou vendo 2 médicos e tomando mil remédios, eu preciso manter uma residência aqui até tomar alta.

Falando nos meus médicos e remédios, eles tiraram 2 remédios do meu arsenal que eu tomava por dia, o que achei um grande progresso (pelo menos é o que eles falam). Um dia de cada vez... Já estou me sentindo melhor, mas ainda não estou 100% lá, na velha Maridu. Talvez nunca mais volte. Mas talvez volte uma Maridu melhor que a de antes. Vai saber. Devo tomar alta pra começar a viajar de novo em Abril. Veremos. Torcemos e oremos pq pra ser bem sincera estou de bagos plenos do Rio e adoraria fazer uma viagenzinha pra NY, ou pra Paris, ou até pra São Paulo, mas nem isso eles deixam. Ok. Novamente não vou discutir. Corto um dedo fora pra não ter confronto nesse momento da minha vida. Vou pra São Paulo pro Lollapalooza no final de Março (vai ter muita banda foda, e as que eu mais quero ver são The Black Keys e Foals) mas olha que saco, vou ter que ir de carro pq ainda estou totalmente bloqueada de entrar num avião. Saco. Isso vai passar, os médicos prometem. Por esses motivos, nem consigo pensar ainda no WSOP. Mas até lá quem sabe já não tomei alta pra viajar? Dedos cruzados.

No mais, sigo firme no remo e na malhação intensa. Sei lá, entrei numa. Estou um tourinho de forte. Agora comecei um treinamento pra ficar mais fina, pq eu fico forte rápido e não acho bonito mulher muito forte, especialmente uma que é quase anã feito eu e meus 1m e 63cms em dias bons (1m e 61cms em dias ruins). O Jack, meu cão recém adotado é maravilhoso, baita companhia e coisa mais fofa do planeta, mas ele está com um problema sério de latido. Eu não posso sair de casa que ele late do minuto que eu saio até o minuto que eu volto. Já tentei de tudo. Fucinheira, coleira que solta spray de citronella na cara dele, até Rivotril já dei pra ele, mas nada resolve. Ele está deixando os vizinhos loucos. Como resolvo isso? Alguém já teve esse problema.

Já estou pensando em voltar pro poker, mas acho que preciso retirar pelo menos mais 1 remédio do meu sistema antes de voltar (o da noite, que me deixa grogue pacas). Até isso acontecer, nem pensar.

Foi mal que é só isso que tenho pra contar, mas a mudança realmente tirou meu fôlego. E mexer em todas as coisas da minha mãe não foi fácil. Mas pelo menos acabou e estou esperançosa desse novo capítulo da minha vida, numa casinha toda novinha, só minha, sem tantas memórias de coisas tão boas e tão ruins. Acho que isso já vai ser outro grande progresso na minha recuperação. Quem sabe? No momento, não sei nada. Não que eu soubesse de algo antes, mas agora sei menos ainda. Isso não é de todos mal. O futuro tem possibilidades pq estou me desfazendo de tudo velho e recomeçando tudo novo. Vai ser bom. Tem que ser! Eu acredito...

Espero que todos vocês estejam bem e felizes.

Beijos e até breve, espero...

ME


Sunday, February 24, 2013

Reaprendendo a viver, parte 2

Oi gente tudo bem?

Então, meus últimos posts foram de assuntos bem sérios e, não vou enganar, tenho passado por uma barra pesadíssima. Hoje, do nada, me deu vontade de escrever. Fizeram 2 meses que a minha mãe morreu, e desde então tudo tem sido um caos e ao mesmo tempo uma re-descoberta. Estou vendo dois psiquiatras - nada de "conversar sobre passado", acho isso um saco, não é terapia o que estou fazendo, não ficamos "remoendo" nada - são psiquiatras de remédios mesmo. Um é o psiquiatra todo fodão que já estava tratando de mim antes da minha mãe morrer da minha síndrome de pânico - que agora tenho certeza absoluta era uma premonição da morte da minha mãe, pois desde então nunca mais tive nenhum episódio - e a outra psiquiatra é uma mulher muito famosa aqui no Rio que trata somente de luto. Eu não sabia que esse tipo de psiquiatra existia. Eles se comunicam sobre o que devo ou não tomar e me receitam MUITOS remédios, que honestamente, são o único jeito que acho que estou conseguindo funcionar e levantar da cama.

Pra quem lê ou leu meu blog, eu sempre tive uma relação muito próxima com a minha mãe, bem, com a minha família toda, mas especialmente com a minha mãe, que era minha mãe e meu pai desde a morte do meu pai quando eu tinha 15 anos, e eu surtei completamente quando ela morreu. Caguei se devo ou não falar essas coisas, mas por exemplo, no enterro dela eu tentei remover o corpo dela do caixão dizendo que ela não estava morta e que ela ia morrer de fome se enterrassem ela porque ela estava apenas num coma. Coisas assim. Aí passei umas duas semanas ligando pra todo mundo as 2am falando "temos que ir pro cemitério tirar a mamãe do caixão, ela está viva e está com fome e vocês são uns assassinos" - surtei mesmo. Tipo ao ponto que minha família considerou me internar mas decidiram colocar enfermeira. Uma enfermeira bem da escrotinha que demiti em 2 semanas.

Mas com os remédios e tal comecei a voltar... sei lá pra onde, mas pelo menos comecei a sair daquele lugar muito muito escuro onde eu estava. Não quer dizer que já saí por completo, mas estou no caminho certo (eu acho). Adotei um cachorro por quem estou apaixonada, o Jack Jack Meleca (e cada vez que falo o nome dele pros meus sobrinhos eles morrem de rir) formei uma banda onde canto e toco a segunda guitarra (até abri uma conta paralela no twitter só pra debater música que quem quiser pode seguir se chama @LoudLalala) e o nome da banda é "26 Oil Cans", e sigo firme e forte com a minha malhação intensa de remo, corrida e pedalada diária - talvez até meio neurótica demais com malhação, estou um tourinho de forte - mas meus médicos dizem que é melhor isso do que, sei lá, beber, ficar deitada, ou vai saber quê mais. Também decidimos (eu e meus irmãos) alugar o apt da minha mãe e eu tive que procurar outro lugar pra chamar de "meu" aqui no Rio. Finalmente achei e me mudo dia 1o de março. É do lado do apt da minha mãe pq a verdade é que não consigo sair da vida que tenho no Rio num parâmetro de mais ou menos seis quadras em Ipanema onde faço tudo a pé ou de bike. E escuto música ou toco música o dia inteiro. Com meu cãozinho do lado. É o que ando com vontade de fazer, então é o que eu faço.

Eu estou ultra afastada de poker por alguns motivos: um porque tomei um certo pânico de poker (que eu sei que é temporário, mas não consigo nem ouvir falar de poker no momento) e dois porque eu estou tomando 7 narcóticos por dia. Não tem a menor condição de jogar poker e manter a concentração com tanto remédio na cabeça (os remédios também são temporários, apesar de necessários), e sei lá, ultimamente quando jogo poker dps fico me sentindo um cu. Sei lá, não estou muito preocupada. No momento não consigo mesmo. Eu sei que isso vai passar, mas meus irmãos falaram tanto nas sessões de terapia familiar que o poker que tinha "arruinado" minha mente, que eu não quero confrontos, então estou afastada mesmo. Jájá volto. Mas por enquanto nem pensar. Nem acho que vou pro WSOP esse ano. Acho que vou fazer uma viagem pelo mundo com meus melhores amigos indo a shows e festivais de música. Mas claro, nada resolvido e em breve tudo pode mudar...

Essa semana o Elky e o Eugene Katchalov estavam no Rio com o Akkari (e o Elky trouxe a namorada nova), e apesar de só ter visto o Akkari uma vez num jantar no Porcão, eu estive com o Elky todos os dias (somos muito amigos desde 2006), e vi bastante o Eugene. Fizemos programas incríveis, tipo minha nova paixão que é stand up paddle na lagoa, andamos de bike, de pedalinho, fomos no Cristo, essas coisas cariocas. Ontem passei o dia na casa do meu irmão, melhor amigo, Diogo, que é casado com a Marisa Monte, e fiquei ouvindo as músicas novas dela - nem preciso dizer a terapia que isso foi. Meus amigos tem sido algo de excepcional, nunca me deixam um minuto sozinha, estão do meu lado firme e forte segurando a minha mão e estou descobrindo que não tem nada de errado em perder o controle e pedir ajuda, coisa que acho que nunca tinha feito antes. Faz até bem pra alma.

O David, que é uma pessoa incrível, tem me dado todo espaço do mundo, ao meu pedido, mas está sempre presente de forma positiva. Me mandou de presente do dia dos namorados uma vitrola fodona que eu queria muito, e 12 discos incríveis (a maioria Beatles, obv). Ele é foda... Em breve ele vem, mas relação com qualquer pessoa no momento também é outra coisa que eu não consigo carregar nessa fase cheia de demonios me atacando diariamente.

Estou animada pro LollapaloozaBR que se aproxima em SP e está com um line up fudido, não  deixando nenhum festival internacional a desejar, e cara, se eu posso recomendar uma banda pra vcs irem ver, por favor não percam The Black Keys. Os caras são além de bons, são tipo gênios e é rock verdadeiro, sem viadagi, truquinhos, é rock sujo, nervoso, os caras suam bagarai, delícia, como rock deve ser. Sente só...
- Little Black Submarines (na boa, sente o sonzaço e a vibe entre o Pat Carney dando muita porrada na bateria feito gente grande e o Dan Auerbach tocando feito o diabo - não pode perder isso!)

e um dos melhores vídeos da internet
- Lonely Boy (e esse é o video oficial da música! Reparem aos 29 segundos um cara mete a cabeça atrás e por volta de 1:34 o cara dá um chutinho a-la-Michael-Jackson que me mata de alegria. Eu morro de rir com esse video toda santa vez que assisto)

(Sério, não seja um bunda mole e perca esse show se você tiver a chance de ir, é show de mudar a vida se vc curte rock - e porra, FOALS tbm vem... na boa... não dá pra perder!)

E apesar de tudo, ando com muita esperança para o futuro. Afinal de contas, sou jovem, inteligente, tenho lá meu charminho, e minha psiquiatra de luto tem falado muito sobre algo que tem mexido demais comigo: quando alguém passa por um luto tão profundo, onde vc perde uma parte de você, sua alma fica mole, mole feito barro. Então você tem que tratar a alma como uma nova escultura, como no filme Ghost (sem a cena de sexo!) e estar constantemente tocando nele, moldando ele, o luto, mas que você tem uma oportunidade de sair do outro lado uma pessoa nova, a pessoa que você quiser. Eu não sei quem eu quero ser quando sair do outro lado, mas sei que quero tentar ser uma pessoa melhor. E é isso que estou tentando no momento. Sair do outro lado dessa fase difícil uma pessoa melhor. Quem sabe eu consigo... Ela também fala que não faz mal sentar no caos um pouco. Então estou fazendo isso também. Tem dias que sento e apenas deixo o caos me abraçar, putinho que ele é, ele abraça forte e chega a tirar o ar de dentro, mas tem dias que estou mais forte e chuto ele e tenho um dia bom. Some days are better then others...

Espero que vocês todos estejam bem e perto de quem amam. Só isso vale nessa vida. Isso e chocolate, coca-cola e um seriado no Netflix. Mmm, adoro. Em breve volto pra Maridu das antigas, por enquanto, estou re-aprendendo a viver e re-moldando a minha alma. Tomara que consiga.

Beijos,

Maridu

Rindo de alguma coisa que o Eugene tava me mostrando (nem lembro)

Medindo muques (tô forte pacas!)

na minha casa, Elky pintando o cabelo de platina e eu fazendo as unhas kkkk

ELky e a namorada no pedalinho da Lagoa

Bike a noite na Lagoa, delícia

Elky, eu, Eugene e a Jenny (nama do Elky) no Cristo Redentor

Eugene, Elky e Jenny imitando o Cristo

O Rio é foda...

no Cristo


Eugene de bike na Lagoa

Stand up paddle na Lagoa, estou apaixonada por isso, faço todos os dias

No Porcão comendo um pouco além do normal

Com o Akkari e o Eugene (Akkari mudou de cor)

Meu novo amor, o Jack Jack Meleca

Vitrola fodona que o David me mandou de Valentine's

Com Dadi, Marisa e Cezinha ouvindo as músicas novas dela

Sunday, December 23, 2012

Voltando a vida, reaprendendo a viver

Oi gente querida, tudo bem?

Eu, como a maioria de vcs já sabe, não tive um ano nada bom. Aliás, posso dizer que 2012 foi o pior ano da minha vida. Tudo começou com minhas síndromes de pânico do nada em Abril, seguidas por uma fratura ultra dolorida e operação do joelho, culminando no falecer da minha amada mãe. Foi péssimo o ano, e eu só quero que ele acabe pra eu começar a me reinventar a-lá-Madona.

Essa semana passei, literalmente, numa ilha deserta em Angra com as minhas melhores amigas, e foi um momento importante para eu ficar quieta com meus pensamentos, onde não tinha recepção de celular nem internet (parecia que eu estava em Marte) e isso foi valiosíssimo. Andei de kayack, saí de lancha, joguei frescobol, pesquei, e fiquei muito tempo só, pensando, pensando... pensando nas cruzes que essa vida fica trazendo pra gente carregar, como testes, e a força que encontramos de onde não esperamos para carregá-las. Sim, somos mais fortes do que imaginamos, mas é cansativo.

acordar e ver isso faz bem pra alma

minhas "forever" da vida Aninha, Luciana, eu e Julia - todas pararam a vida pra ficarem comigo na ilha me ajudando nesse momento complicado. Amo, amo, amo...

Mas, o tal do clichê é verdade, nada como o tempo, e já estou começando a me sentir melhor, mais esperançosa, e até sorrindo volta e meia. Claro que sorrisos seguidos de culpa, coisa que estou tratando com dois psiquiatras fodões com quem estou trabalhando meu luto e stress pós traumático (por ter vivido fisicamente a morte da minha amada mãe, que morreu em meus braços em questão de 3 minutos e onde não pude fazer nada, apesar de ter tentando de tudo e mais um pouco). Confesso que não sei o rumo que minha vida vai tomar daqui pra frente. Não estou me sentindo forte fisicamente ou mentalmente para jogar poker, sem contar que os remédios que estou tomando para o que ocorreu (não só com a minha mãe, mas com meu joelho) não me deixam mentalmente afiada. Veremos... e como sempre vou escrever a verdade aqui pra vocês. Acho que até 2013 chegar vou apenas contemplar... Até pedi pro David não vir para o Brasil, pq ele vai ter que ir pro PCA (onde vamos torcer por ele) e ele vem depois. Apenas preciso de um tempo para mim mesma, sabe? Nada pessoal, e como o Santo que ele é, ele não só entende como me apoia. Alguns planos já se formam no horizonte, mas prefiro ficar quieta até virarem sólidos pra mim mesma.

Enfim, queria poder fechar o ano com notícias melhores, mas nem todo ano é bom, e eu não sou de esconder quando o meu foi ruim. 2012 foi o pior de todos. Mas 2013 eu vou ativamente tentar fazer ser um dos melhores e vou dando notícias.

Quanto as HHs postadas, poucos assistiram a HH que o Andy McLeod (James Obst no twitter, TheFatFish no FTP) meu professor de poker e grande amigo, considera ser sua melhor HH, e pra quem quiser assistir (com comentários dele a partir do sétimo minuto no primeiro video) aqui estão os links.

Andy McLeod 55+R, A+ game parte 1

Andy McLeod 55+R, A+ game parte 2

e o The Big 55 que o David fica em segundo lugar segue online tbm no youtube, basta catarem no meu canal do youtube, que fica no nome de Maridu01. Desculpem eu ter tirado os outros, mas tem muitos papos com a minha mãe no audio e isso não me fazia bem. Um dia quem sabe não tiro o audio e reposto os vídeos. Mas ficaram no ar por muito tempo, e acho que quem estava interessado chegou a ver, né?

Bom, é isso... Espero que vocês tenham tido um ano melhor que o meu (não é difícil, o meu foi péssimo) e tenham um Natal repleto de alegria com suas famílias e tudo de bom em 2013. Na verdade, desejo isso aqui pra vocês, uma casa cheia de amor e alegria...



Um beijo carinhoso da amiga que está reaprendendo a viver sem a peça mais fundamental da minha vida, minha mãe,

Maridu

Monday, December 17, 2012

Retiradas

Oi gente, como avisei no post anterior, por motivos pessoais, a maioria das HHs foram tiradas do ar por causa do audio - não consigo imaginar os papos com a minha mãe soltos por aí, pelo menos por enquanto. Deixei duas, a do "The Big 55" do David e o 55+R do Andy McLeod, que o próprio considera a melhor HH dele. Quem viu, viu, quem não viu, não ia ver mesmo. Pra ser sincera fiquei impressionada com a pouca demanda. Eu, se ainda fosse grinder da minha época de grinder mesmo, e tivesse esse material disponível, ficaria o dia todo analisando. Isso volta prum papo que tenho sempre com o Ivan (RoyalSalute) que estuda pacas e sempre trocamos figurinhas do jogo um com o outro, de que todo mundo quer "vamooooo" mas poucos querem mesmo entender como atingir o "vamooooo" (sem julgamentos obv, mas quem pensa que aprende esse jogo na "marra" ou na "experiência" está enganado, pq chega uma hora que o edge/skill se nivela e a diferença vem de quem sabe mais a técnica e matemática do jogo). Mas enfim, claro que não quero pregar ou cagar regra pq como todos sabem, eu não sei nada de nada.

Estou indo viajar passar 1 semana numa ilha deserta em Angra pra tentar respirar ares diferentes e tentar me recompor um pouco. As últimas 2 semanas parece que fui arrastada atrás de um caminhão e 2012 foi, sem dúvida, o pior ano da minha vida. Mas vou tentar largar ele no passado, que é onde esse ano fedido merece ficar. Até a volta. Bom Natal para todos

Então aqui estão as HHs que sobraram (caso alguém ainda queira ver):

David Baker (Bakes - WhooooKidd) no the Big 55 parte 1


David Baker (Bakes - WhooooKidd) no the Big 55 parte 2




Beijo grande, digam pras suas mães que vcs amam elas, eu amo a minha mãe mais que tudo e agora não posso mais dizer isso a ela - será que disse o suficiente o quanto eu a amava? Estou sem conseguir respirar de saudades e não consigo até agora acreditar que DO NADA, sem estar doente, sem ter NADA, ela faleceu nos meus braços em questão de 3 minutos devido a uma parada cardíaca. Aqui está um vídeo que eu cantei depois de um discurso que fiz em homenagem a melhor mãe do mundo na Igreja durante a missa de sétimo dia dela (obv que cantado mal e entre cafungos de choro preso) - eu passei 200 cópias com a letra pra todos cantarem junto, ficou emocionante. No meu canal do YouTube também tem meu discurso na missa, caso alguém queira ver e entender pq o mundo ficou tão pior com o passar da minha mãe. Eu não consigo entender mais nada dessa vida de Deus. Um dia talvez, quem sabe... Por enquanto, não entendo NADA mesmo.

Maridu




Amor da minha vida

minha paixão